Notícias & Publicações
2017/20/11
Publicações Económicas

A indústria automotiva britânica e o Brexit ou como parar um setor que se move.

A indústria automotiva britânica e o Brexit ou como parar um setor que se move.

Os efeitos de um Brexit "duro" serão decisivos para a capacidade de inovação e competitividade da indústria automotiva britânica:

  • Os primeiros sinais adversos: a baixa, na produção, nas vendas e nos investimentos;
  • O acesso ao mercado único europeu é e continuará a ser vital
  • São previstos obstáculos financeiros e o declínio da qualidade na mão de obra;
Alta dependência do mercado europeu

Após um volume excepcional na produção de veículos registrado em meados de 2016 (1,02 milhões de unidades vendidas, entre janeiro e agosto, 8,5% mais em relação ao mesmo período de 2015), 2017 registrou uma queda na produção próxima a 2 %. A dinâmica saudável nas exportações neste setor, fortemente orientado para o mercado europeu (79% dos veículos montados no Reino Unido são exportados, dos quais 56% deles para países da União Europeia), não compensam a queda de demanda doméstica gerada pela perda de confiança do consumidor.

A dependência do mercado europeu na indústria automotiva britânica não para as exportações. O setor importa 56% das peças necessárias para a montagem de um veículo e está bem integrado na cadeia de valor europeia, permitindo otimizar custos, estoques e tempos de produção.

Paralelamente, desde 2016 houve uma queda acentuada nos investimentos de fornecedores e fabricantes de automóveis (uma queda de 36% em relação à média do período de 2011-2015), uma tendência que começou a ser mais pronunciada em 2017, apesar de 28 novos esquemas lançados (de todos os fabricantes de veículos como um todo) planejados entre 2017 e 2024. As perspectivas ligadas às dificuldades e riscos do resultado das negociações Brexit continuam prejudicando a atratividade do país para investidores estrangeiros, incluindo os controladores de um bom número de marcas de automóveis britânicas (Tata Motors, BMW, Nissan e PSA).

Iniciativas de competitividade e inovação em risco

 

"O mercado comum europeu é claramente vital para a indústria automotiva britânica, no cenário de um Brexit difícil, com a implementação de controles rigorosos sobre os bens e a aplicação das tarifas da OMC, os riscos poderiam se multiplicar", disse Khalid Aït Yahia. , Economista Coface especializado nos setores metalúrgico e automotivo.

Três consequências que seriam palpáveis neste caso:

 - Deterioração na competitividade O Reino Unido não possui um número suficiente de fornecedores de equipamentos locais. Na Europa, o componente de um veículo pode viajar por 15 países1 antes de finalmente ser montado em um carro. A falta de um acordo de livre comércio com a União Europeia poderia significar um aumento de 10% nos custos de um veículo e 3% para autopeças, de acordo com as tarifas derivadas dos acordos da OMC.

 

-Falta de mão de obra qualificada

O Reino Unido, sendo membro da União Europeia, é beneficiado pela contratação de engenheiros e técnicos qualificados em um contexto de escassez de cientistas e técnicos nacionais qualificados. Portanto, assumindo que as restrições estabelecidas pela imigração econômica, conforme exigido pela "saída", o campo agravará as dificuldades nesta área, tanto a curto como a médio prazo.

 

- Incertezas sobre o financiamento da inovação

O Reino Unido lidera na Europa o desenvolvimento de veículos elétricos e híbridos, em parte, derivados dos programas de financiamento da inovação lançados na União Europeia, isto, no âmbito do programa FP7 2007-2013, seguido do plano Horizonte 2020, mas também para um empréstimo do Banco Europeu de Investimento por £ 250 milhões. No período pós-Brexit, o questionamento do financiamento da inovação poderia prejudicar ainda mais o setor automotivo britânico.

 

[1] De acordo com a Associação Europeia de Provedores da Indústria Automotiva (CLEPA), abril de 2017

 

 

 

Transferir esta publicação : A indústria automotiva britânica e o Brexit ou como parar um setor q... (598,07 kB)

Contacto


Carolina ALMEIDA

Marketing&Communication Manager
BRAZIL
mail : carolina.almeida@coface.com

Início
  • Portugese