Notícias & Publicações
2017/08/11
Publicações Económicas

Embargo ao Qatar: Gerenciável por enquanto, mas não para sempre.

Embargo ao Qatar: Gerenciável por enquanto, mas não para sempre.

Em 5 de junho de 2017, a Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos, o Egito e o Bahrein (conhecido como Quarteto Árabe ou Golfo) anunciaram que quebraram os laços diplomáticos com o Catar, devido ao relacionamento do país com o Irã e acusações de apoio ao extremismo. Embora o embargo tenha tido algum impacto no Catar, o país conseguiu suavizar os efeitos da crise. A maior ameaça à economia do Catar seria se a crise durar mais de alguns meses.

 

A situação está sob controle graças ao apoio do governo

O Qatar, o maior exportador mundial de gás natural liquefeito, até agora conseguiu suavizar os efeitos do embargo, principalmente graças às reservas em dinheiro e ouro. O governo tomou medidas imediatas e efetivas, que, juntamente com as crescentes exportações de energia, conseguiram mitigar os desafios decorrentes da crise. A Coface prevê que a economia qatariana crescerá 3,4% em 2017 e 3% em 2018.

 O apoio governamental, principalmente sob a forma de  bilhões de dólares depositados no sistema bancário local para sustentar a liquidez, ajudou a economia do Qatar a enfrentar os impactos negativos da crise até o momento, apesar de os residentes do Golfo começaram a retirar seus depósitos. Outra medida foi a reorganização das cadeias de distribuição, em cooperação com outros parceiros regionais e internacionais, como a Turquia. Enquanto isso, as exportações de hidrocarbonetos do Qatar continuam a aumentar. Durante o primeiro semestre de 2017, as exportações de gás natural do Catar aumentaram 19,3% em relação ao ano anterior, e suas exportações de petróleo cresceram 31,6% no mesmo período.

 
Resiliência do sistema bancário nacional

Os depósitos públicos continuaram a ser uma fonte chave de financiamento para os bancos do Qatar. A participação dos depósitos bancários totais aumentou para 38% em agosto de 32% em junho, como medida que o governo injetou dinheiro no sistema bancário para compensar a redução do financiamento externo. O financiamento do Banco Central do Catar para o setor bancário comercial hoje desempenha um papel importante na manutenção da liquidez no sistema bancário. Durante o próximo período, apesar do fluxo persistente devido à crise diplomática não resolvida, a qualidade dos ativos do sistema bancário do Qatar permanecerá alta, já que os bancos são apoiados pela imensa reserva de capital do governo, que mantém liquidez em níveis confortáveis.

 

Poderão surgir desafios em médio prazo se uma solução rápida para a crise não for encontrada

Se as partes envolvidas demorarem mais que alguns meses para encontrar uma solução, os custos de importação do Qatar continuarão a aumentar. Isso impediria o crescimento em vários setores-chave, como a construção, onde os preços serão pressionados devido ao alto custo dos materiais utilizados. Isso prejudicaria o desempenho do crescimento do país, apesar das intervenções governamentais para reduzir os riscos financeiros e fiscais. Além disso, essa persistente incerteza política arrastaria os investimentos, particularmente nos setores de não-hidrocarbonetos. Isso, combinado com a política monetária restritiva (devido à paridade fixa em relação ao dólar) e o baixo apoio público, moderaria o crescimento destes setores.

 

O sistema bancário também seria afetado por condições econômicas fracas, menor confiança dos investidores e retiradas de depósitos, tornando importante monitorar a liquidez do sistema bancário do país.

 

Em resumo, qualquer grande deterioração da situação atual resultaria em custos mais altos para a economia do Qatar. Esses impactos negativos poderiam ser mitigados se o preço da energia mantiver a tendência de recuperação. A expansão do setor de construção e os principais projetos de infraestrutura podem manter o impulso em outras atividades de fabricação. Esses desenvolvimentos apoiarão o crescimento dos setores não relacionados ao hidrocarboneto.

 

 

 

Transferir esta publicação : Embargo ao Qatar: Gerenciável por enquanto, mas não para sempre. (644,95 kB)

Contacto


Carolina ALMEIDA

Marketing&Communication Manager
BRAZIL
mail : carolina.almeida@coface.com

Início
  • Portugese